O PÃO NOSSO DE CADA DIA

29 MAIO 2015 | SEXTA-FEIRA | 21H30
Teatro | CTAlba – Sala Principal
O PÃO NOSSO DE CADA DIA
OFICINA DE TEATRO JOVEM DA COMPANHIA DO JOGO
Gratuito (sujeito a levantamento de ingresso e à lotação da sala) | 60 min. | M/3

O PÃO NOSSO DE CADA DIA é fundamentalmente a resposta ao convite e ao desafio que nos foi feito pelo SAC – Serviço de Aprendizagem Criativa e pelo Município de Albergaria para que a OficinaTeatroJovem da Companhia do Jogo criasse um espetáculo, no âmbito da realização da segunda edição do Festival Pão de Portugal, onde fossem desenvolvidas inúmeras representações plásticas e esculturais, explorações sonoras, personagens que compõem gestos operários referentes à manufatura do pão e da produção e transformação de farinha presente na Rota dos Moinhos de Albergaria-a-Velha.

Assim, partir de duas ideias, duas palavras chave, PÃO e MOINHO, o espetáculo foi sendo construído num verdadeiro espírito de criação coletiva, a partir de sessões de “brainstorming” onde todas as ideias eram válidas e, depois, todas discutidas, num processo criativo por todos participado. Criado a partir do nada, o espetáculo surge em tempo recorde, pouco mais de um mês, graças ao empenho e entrega dos jovens da OTJ. Num processo de concordâncias e discordâncias, consensos e cedências, experimentação, pesquisa de textos e músicas, O PÃO NOSSO DE CADA DIA lá foi surgindo, mais uma performance multidisciplinar do que uma peça de teatro, onde o canto, o teatro, o movimento e a dança, a poesia e a música se cruzam numa proposta artística e poética sobre o PÃO e os MOINHOS.

Intérpretes
Afonso Carvalho, Ana Gabriela, Bruna Filipa, Carolina Rodrigues, Dinis Meirinhos, Flora Lopes, Miguel Henriques e Raquel Silva
Participação especial Nuno Ferreira

Direção, encenação e espaço cénico Victor Valente
Conceção plástica/figurinos Tucha Martins
Produção AlbergAR-TE
Design de luz Vitor Melo
Execução do guarda roupa Odete Sousa

Textos de Vitorino Nemésio, Maomé, Esopo, Thiago de Mello, Eva Cruz, Guerra Junqueiro, António Aleixo, Agostinho da Silva, Florbela Espanca e da tradição oral

Músicas das recolhas da música tradicional portuguesa de Michel Giacometti e “O amor é um moinho” de Arlindo de Carvalho na interpretação de Gina Maria.

Apoios
Padaria Central
Móveis Jocar
Cineteatro Alba
Município de Albergaria-a-Velha